10 minutos Falar de amor sempre foi algo muito fácil para mim, quase como respirar. Sempre bisquei entendê-lo, muito mais do que me permitir senti-lo, até que eu compreendi que ele é um sentimento em construção. Ele se constrói a cada nova relação, seja de amizade, relacionamento afetivo-sexual. O amor não se encontra, se constrói. E essa foi minha maior descoberta. O texto abaixo foi postado com o título “Construção”, no meu antigo blog, em 16 de junho de 2017. Resolvi postá-lo hoje pelo Continue lendo

16 minutos A cultura da paz é um objetivo que deveria ser uma meta de todos nós. No entanto, sair da cultura da violência para uma cultura da paz exige algumas mudanças de pensamentos e até mesmo de paradigma. No final de semana do dia 06/10/2018, em Foz do Iguaçu, visitei uma exposição no Shopping JL que exibiu diversos painéis com o tema “Da cultura da violência para a cultura da paz”. Nestes painéis constavam informações relevantes a respeito da violência (especificamente com as Continue lendo

9 minutos Podemos definir o preconceito como uma atitude negativa que um indivíduo está predisposto a sentir, pensar, e conduzir-se em relação a determinado grupo de uma forma previsível. Das sensações, podemos citar um  sentimento de impotência ao se tentar mudar alguém com forte preconceito, em uma ideia fixa, quase que de megalomania, em que se considera melhor que o outro em tudo, muitas vezes, de forma inconsciente. O que é diferente não merece espaço para o convívio dos que se julgam melhores, e Continue lendo

13 minutos Em setembro de 2013, encontrei um vídeo no Youtube que analisava as relações humanas, segundo o ponto de vista da mitologia grega, o que me levou a pesquisar mais a respeito do mito em questão: “Eros e Psiquê”. Quando descobri a história, me identifiquei bastante. A atenção dada ao mito, se reflete ao que vinho estudando, na época, junto à psicologia, com início alguns anos antes que, na psicanálise, revela sonhos, ou imagens do inconsciente humano. E, se atentar a isso, às Continue lendo

7 minutos Antes da Psicologia entrar em minha vida, sempre tive a tendência de ser a conselheira amorosa de minhas amigas, ou de pessoas que apareciam em decorrência do meu antigo blog, em que escrevia textos reflexivos, e sobre o amor. Percebi com essa experiência que as idealizações eram uma constante na vida das pessoas, de maneira geral. Porém, eu aprendia muito com essas idealizações. Os exemplos de fracassos alheios me ensinavam muito por onde não devia caminhar. Já li inúmeros livros a respeito Continue lendo