Rio 2016


olimpiadas1“Sim, nós podemos”, assim disse Lula, utilizando o mesmo slogan que levou Barack Obama à presidência dos EUA em 2008, mas que o derrubou na disputa por sediar as Olimpíadas de 2016, logo na primeira eliminatória em 2 de outubro de 2009.
Com essas palavras, o presidente brasileiro esbanjou emoção e simplicidade complementando seu discurso verdadeiro e impactante, mostrando que o Brasil além de possuir uma riqueza cultural devido à miscigenação, também é um país de primeiro mundo. “Hoje, pagamos nossas dívidas à vista”, afirmou ele provando com exemplos concretos que o Brasil tem capacidade de sediar as Olimpíadas.
Além desse aspecto, o que favoreceu a vitória do Rio de Janeiro foi a criatividade publicitária presente no vídeo que fez propaganda do Brasil: foi capaz de detectar o ponto forte do COI (Comitê Olímpico Internacional) que é o de atrair o público jovem e as diversas culturas, e o vídeo pôde mostrar o que é que o Brasil, realmente, tem. Segundo Lula, o Brasil é o que melhor representa o símbolo das olimpíadas, pois possui todo o tipo de cultura por conta dessa miscigenação.
Embora muitos discordem, esse é o momento que o Brasil terá para crescer economicamente, apesar dos gastos que terá com construções diversas e melhorias na infraestrutura para receber milhares de pessoas do mundo inteiro em 2016.
Conforme comentários, a responsabilidade do Brasil aumenta, bem como a da imprensa em geral, que terá que “fiscalizar”, de forma criteriosa, os gastos do governo e cobrar do mesmo para que haja menos corrupções. Acrescento aqui também a necessidade de se fazer uma campanha nacional para que a população reduza os desperdícios, que como sua própria definição diz, são desnecessários. Nisso, entram questões também ambientais e por aí vai.
Por outro lado, temos que levar em consideração a tamanha relevância nacional e internacional que este fato terá para o Brasil. A população tende a valorizar mais o que é nosso, os nossos valores e o mundo reconhecerá que o país tem um potencial enorme de crescimento, aliás, já está crescendo. Quer exemplos? A descoberta da camada pré-sal, que já está sendo trabalhada e, pode ter certeza de que, ouviremos muito falar disso ainda. Fora que existem muitos outros países de olho nisso. Adianto que a repercussão será grande…já está sendo.
Sem fugir do foco, os brasileiros precisam aprender a valorizar o que é nosso e passar a acreditar no nosso potencial. Isso não é só lição política, mas lição para a vida. É claro que temos problemas ligados à corrupção e à violência, mas isso faz parte do processo de evolução do país, aliás, de qualquer país. Se formos levar isto em consideração, até países desenvolvidos possuem violência, até mesmo piores que a nossa. Isso é questão também da evolução cultural. Estamos longe da perfeição, mas a um passo do sucesso.
Talvez, por se tratar de questão cultural, é que o Brasil se sinta sempre inferior, mas isso precisa ser mudado, e é preciso perceber também que já está acontecendo. O pessimismo é sinônimo de pobreza. Quem nasceu em um meio no qual as condições eram mínimas e sem incentivo algum, só vai acreditar que o sucesso nunca virá, e se manterá desmotivado talvez por uma vida inteira. Esse, infelizmente, é o perfil do Brasil. Só que temos que mudar isso. E as Olimpíadas de 2016 serão um marco para a evolução do nosso país. Vamos valorizá-lo mais!

Contatos:

(12) 9749-3912 / (12) 9104-6202 / (12) 8822-6263

Anúncios