A Família Universal


O ser humano, de uma maneira geral, tem a necessidade de se unir, de se apegar e viver em comunidade. Essa ideia surge com a família, a quem devemos honrar com o respeito e o amor.

Com a família aprendemos a defender nosso território, as pessoas que amamos, tudo o que conquistamos juntos bem como as ideias que defendemos. A família é mais do que uma estrutura social, mas um território para o qual devemos ter a certeza de que podemos sempre voltar quando precisarmos, porque amamos, confiamos e temos vínculos misteriosos e inexplicáveis, que até a psicologia e a sociologia pecam ao tentarem desvendar. E quando a ciência falha, a religião sustenta.

E mesmo com tantas qualidades, a família perdeu sua essência devido aos vícios adquiridos com a modernidade. A liberdade desregrada e irresponsável deu espaço ao sexo desvairado, que ocorre por puro prazer. As pessoas perderam a essência da divindade da família, que é o deus criador da vida por meio da união de duas pessoas que se amam. O filósofo, teólogo, músico e psicólogo norte-americano, Thomas Moore defende a ideia de que a família é uma estrutura divina composta por seres humanos. Sem honrar a essa estrutura, o ser humano perde sua essência e vive em descontrole em todos os aspectos de sua vida. Ele diz que devemos primeiro criar, dentro de nós, a ideia do que é a família; sentir o que nossa alma (que é puramente emoção e zero razão) entende por família, e só depois, analisarmos como é a nossa família real e se colocamos em prática nossa ideia ou não.

O interessante é descobrir que, na verdade, todos nós sabemos o significado de família porque é o que estamos buscando constantemente quando participamos de uma comunidade, seja ela de qual tipo for; quando participamos de encontros religiosos ou até mesmo quando descobrimos um grupo afim de amigos, os quais compartilham de desejos e virtudes semelhantes das nossas. Isso tudo pode ser entendido como uma família. E, quanto mais nos envolvemos com outras pessoas de outras famílias (originais), mais vamos descobrindo sobre nós mesmos e criando mundos diferentes ao nosso redor que podem explicar nossos comportamentos e nos ajudar a entender nossa condição de humanos imperfeitos, mas que buscam a evolução constante, justamente pelo fato de desejarmos ser melhores em tudo sempre.

Essa mistura de famílias que acontece quando vivemos em sociedade, além de nos encaminhar para a evolução, nos sugere outra ideia: a da família universal que somos. A partir do momento em que entendermos que, no fundo, todos nós somos um e que estamos aqui de passagem, para aprendermos a conquistar e a perder; seremos mais felizes, livres de amarras, capazes de amar verdadeiramente o outro o aceitando como ele realmente é de forma incondicional.

Podemos estar um pouco longe de atingir esse amor incondicional pela nossa imperfeição e grau evolutivo, mas tenho a certeza de que dá para começar de onde estamos e com a família que escolhemos para viver; amando mais, respeitando, servindo, sendo mais solícitos, abertos a novas ideias, desprendidos ou desapegados, caridosos, gratos, serenos, pacíficos e cordiais. É difícil alcançar todas essas qualidades, mas com humildade e perseverança, poderemos avançar um degrau por vez da vida espiritual. Podemos ser colecionadores de virtudes, se quisermos. Para isso, é preciso confiar em algo maior, num Deus capaz de transformar e, com paciência, percorrermos caminhos seguros de que podemos tudo o que queremos desde que façamos nossa parte.

A família universal existe e é composta por cada um de nós. Ela se baseia em princípios evangélicos como o “amar ao próximo como a ti mesmo”, e “não fazer ao outro o que não gostaria que fosse feito a você” porque também, como diz o psicólogo Lair Ribeiro com suas sábias palavras, “a vida é um eco”. Pense nisso!

Apenas em torno de uma mulher que ama se pode formar uma família.
( Friedrich Schlegel )

O maior tesouro que possuimos nesta vida é a familia.
( Fatima Vazquez )

A verdadeira felicidade está na própria casa, entre as alegrias da família.
( Léon Tolstoi )

“Mas, se alguém não cuida dos seus, e especialmente dos da sua família, tem negado a fé, e é pior que um incrédulo” I Timóteo 5:8

Enfim, família é a base de tudo…já está convencido disso? Só não devemos nem podemos responsabilizá-la por todos os nossos problemas de adultos, porque agindo assim, estamos nos isentando de responsabilidades exclusivamente nossas. Os pais devem entender que não devem deixar de viverem suas vidas por causa da dos filhos fazendo-os compreender que também são responsáveis pelas próprias atitudes, mesmo não podendo responder por elas pela idade que possuírem. Quando os pais entenderem isso, vão perceber que os filhos colherão frutos mais tarde, assumindo uma postura bem mais madura porque terão consciência, desde muito cedo, de suas próprias atitudes e consequências de suas escolhas.

Contatos:
(12) 9749-3912 / (12) 9104-6202 / (12) 8822-6263 / (12) 8195-2908

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s