O amor tem idade?


As pessoas sempre buscam alguma coisa, alguém, um motivo para serem felizes. Sejam elas homens ou mulheres, crianças ou adultos. Não existe idade para se apaixonar, da mesma forma que não existe tempo para ser feliz.

Muitos podem dizer: “naquela época eu era feliz e não sabia”. A verdade é que o tempo muda e sempre iremos dizer que “naquele tempo tudo era melhor”. Mas, era melhor para quem? É relativo, como tudo na vida. Temos a tendência em pensar que o melhor já foi e nunca será de novo ou que ainda não vivemos o melhor da vida. Mas, o que fazemos para que isso aconteça? Nada! Ficamos de braços cruzados esperando pelo melhor.

Cada um vive o tempo da forma que considera ser melhor e isso depende da forma em que ele foi acostumado a olhar a vida em sua família, de acordo com suas experiências, de acordo com as pessoas que conheceu, que marcaram sua vida ou não.

É verdade sim que não existe idade para se apaixonar, mas a experiência determinará a forma como você irá encarar essa sua paixão. A maturidade é a única capaz de determinar sua sanidade mental ou psíquica. Adolescentes ou crianças não possuem a experiência dos adultos para discernir o momento certo de parar ou de apertar a tecla “delete” do coração. Os adultos mesmo já erram tanto em saber definir a melhor forma de parar, quem dirá com as crianças!

Isso não as impede de amar. Na verdade, penso que as crianças e adolescentes amam tanto quanto nós e estão em fase de amar ainda mais do que nós, para aprender um pouco do que é esse sentimento sublime e sofrer um pouco com essa experiência. Mas, não podemos nos esquecer de orientá-las que essa fase é a fase das bonecas e dos carrinhos. Elas jamais devem se esquecer disso. Apressar a evolução natural da vida, não tornará a criança mais esperta. Não dá para pular etapas.

Quando digo isso me refiro ao recente episódio da criança (adolescente) de 13 anos de idade que se envolveu com uma professora, quase beirando os 40 anos de idade. A criança é bastante lúcida e aparentemente decidida quanto às suas decisões, porém ela foi inicialmente induzida por um adulto negligente, psicopata e que merece cadeia, mesmo que mereça perdão (por não sermos nós perfeitos, nem donos da verdade, muito menos incapazes de merecer um perdão assim como ela). No entanto, enquanto esses crimes não forem resolvidos com punições, nada mudará em nossa sociedade!

Não podemos cruzar os braços esperando pela mudança.

Defender a posição da criança dizendo que o amor não tem idade será o mesmo que defender aquela professora adulta, experiente e capaz de induzir uma criança com a sedução inerente à pessoa adulta.  A criança deve aprender sobre a vida sexual na prática com outra criança de sua idade e da forma mais natural possível, porque não adianta os pais dizerem que irão proibir, porque isso só colaborará com a mentira infantil e com atitudes às ocultas.

Os pais devem apenas se atentar às relações que seus filhos mantém com os adultos: desde seus professores até tios e parentes mais próximos; porque, de forma consciente ou não, eles estão sendo influenciados por todos eles.

As crianças, desde o nascimento até os 16 anos de idade, devem estar sob a vigilância constante de seus pais, que devem orientá-los ao invés de proibí-los, ensinando-os a caminhar com os próprios pés.

É natural aprendermos muito cedo a sentir o gostinho da paixão, mas nos decepcionamos muito rápido e percebemos nossos equívocos com o tempo. A maturidade nos ajuda a ficarmos cada vez mais longe dos sofrimentos. E a maturidade vem em pequenas doses em vários setores de nossas vidas. Muitos são mais maduros sentimentalmente do que outros são profissionalmente. Por isso, alguns sofrem mais com a vida sentimental e outros mais com  a profissional. E estes são apenas exemplos dentre muitos outros aspectos da vida que temos para amadurecer. Demoramos uma vida inteira para crescer e,  as vezes, não conseguimos. Imagine uma criança!

Com o tempo, aprendemos que é preciso ter paciência no amor. Mesmo que ele chegue muito cedo em nossas vidas (porque uma criança pode amar), jamais estaremos prontos porque as pessoas são muito diferentes umas das outras. Sempre teremos surpresas. Com o tempo, descobrimos que, quando nos encantamos por alguém, não significa necessariamente amor, mas paixão, e a paixão pode ser uma porta aberta para o amor desde que sejamos capazes de dar uma chance a ele. Com o tempo, percebemos que quem não te liga quando disse que iria te ligar no dia seguinte, após um encontro, é porque não está tão a fim de você como deveria estar. E é aí que muitos sofrem por não saberem apertar a tão difícil tecla “delete”, mesmo sendo adultos.

O coração é muito complicado de se entender e, com o tempo, aprendemos a não tentarmos compreender o porquê de todas as decepções que sofremos, apenas as aceitamos e seguimos em frente…

…portanto, vamos colocar cada um em seu quadrado? Crianças nas ruas brincando com crianças e adultos com adultos se relacionando.

A verdade é que não existem regras, apenas um coração que deve sempre estar preparado para o pior, mesmo com otimismo. E isso também exige maturidade…

Uma dica pra você:

Contatos:
(12) 9749-3912 / (12) 9104-6202 / (12) 8822-6263 / (12) 8195-2908

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s