Mudar pelo exemplo…somos iguais, porém diferentes


Muitos homens tentam entender o que se passa na cabeça das mulheres. Na verdade, as mulheres também. O que acontece é que o desconhecido causa uma certa atração, da mesma forma que, como dizem “tudo o que é proibido é mais gostoso”.

O que acontece é que todos, independente se são homens ou mulheres, buscam a felicidade de alguma forma. Muitos se enganam ao acreditar que ela está fora da gente, quando na verdade, deveriam aceitar a verdade de que ela vive dentro de nós.

Muitos, por não saberem lidar muito bem com seus sentimentos, se enganam ao buscar fora de si o que falta em suas vidas: seja em um relacionamento, em um emprego ou até em um passeio.

Às vezes nos sentimos insatisfeitos com algo ou com alguém, e procuramos suprir essa insatisfação com outra pessoa ou outra coisa, como se isso fosse o remédio perfeito ou a cura para nossa solidão, angústia ou para o nosso “não saber lidar com nosso espírito”, ou seja, desconhecemos quem realmente somos.

O mais interessante disso tudo é que estamos na Terra para descobrir exatamente isso: quem somos.

Erramos, erramos de novo e percebemos que poderíamos ter evitado muitos desses equívocos agindo de forma diferente.  Mas, jamais descobriríamos uma forma nova, se não errássemos e se não sofrêssemos com as consequências desses erros. O legal é que teremos oportunidades para acertar.

Jamais seríamos quem somos hoje, se não fossem pelas descobertas que fizemos em nosso passado.

Como já escrevi tantas vezes (e às vezes penso que não terei mais sobre o que escrever), somos seres em constante mudança. E devemos mudar sempre: de ideia, de lugar, de país, de atitudes, de namorado (quando não te faz mais bem), de gestos, enfim, mudar de tudo, de todos os jeitos e sempre; mesmo que seja para falar a mesma coisa de forma diferente.

A mudança é o que alimenta o espírito contra a monotonia. Mudamos porque descobrimos novas formas de sorrir. Mudamos de ideia porque a antiga já não nos cabe mais; mudamos de lugar, porque aquele já não nos parece mais adequado, mudamos de país, porque ansiamos por novas descobertas; mudamos de atitudes, porque velhos hábitos nos fazem sofrer; mudamos de namorado, porque ele já não é capaz de evoluir junto, caminhar lado a lado ou porque está nos fazendo sofrer; mudamos de gestos para corresponder a belas atitudes; mudamos sempre e a todo momento porque estamos aqui na Terra para evoluir, e evoluir sempre…até um dia, quem sabe, atingir a perfeição.

Mudamos porque a nossa natureza é mudar. E quem foge dela, tenderá a permanecer no erro e sofrerá por causa do tão comentado comodismo.

Mudamos porque cansamos de ser os mesmos: os mesmos sofredores, os mesmos carrancudos, os mesmos isolados, os mesmos deprimidos, indecisos, pessimistas, grosseiros, carrascos, covardes, tímidos…

Mudamos porque nossos atos já não nos trazem mais recompensas; nossas queixas já não nos surpreendem; nossos amigos já não são os mesmos porque a vida os colocou em lugares diferentes. Mudamos porque algumas coisas ao nosso redor mudam e, por isso, precisamos nos adequar às mudanças…e, às vezes, ainda, precisamos mudar porque percebemos que quando mudamos, tudo muda ao nosso redor; e isso só acontece, quando atingimos nosso limite: da tristeza, da mesmice ou das queixas. Ansiamos, como sempre, por algo que nos faça sentir o êxtase da vida em sua plenitude. Redundante ou não, queremos sempre mais e melhor, sempre de um jeito novo e diferente.

É algo inerente ao ser humano: quem não tem desejos, já morreu. E vamos sempre desejar uma casa, um prêmio milhonário, um carro de última geração e etc.

É natural!

Só devemos ter controle sobre nossas queixas, nosso comodismo diante de qualquer mudança, devemos procurar o equilíbrio emocional diante de tudo, a fim de que a mudança passe a ser natural e não forçada, em nossas vidas.

Devemos simplesmente mudar naturalmente e não mudar porque devemos mudar. Esse processo deve ser leve como uma pena.

E homens e mulheres sempre anseiam pela mudança, e ela sempre começa por alguma insatisfação. Por isso, seja você a mudança que você quer ver.

Não espere as queixas para decidir fazer algo diferente. Não espere a tristeza para se dar o devido valor; não espere ser rebaixado para se reerguer. Tente se espelhar pelos exemplos alheios para fazer diferente, para sair do comodismo e sorrir mais.

As mulheres, muito taxadas de “faladeiras” ou “fofoqueiras” (tá certo que muitas vezes são, mas não vem ao caso agora..risos), sabem muito bem como fazer isso, sem que percebam. Elas desabafam umas com as outras sobre suas tristezas e melancolias e sempre buscam tirar conclusões sobre determinadas atitudes sejam elas masculinas ou femininas. O problema é que, muitas vezes, as mulheres ao invés de se curarem com esse tipo de conversa, ficam ainda piores. Porque não tirar proveito de exemplos e não de conselhos? Porque não aproveitar os exemplos de terceiras para fazer tudo diferente e melhor? Porque não tentar não repetir o mesmo erro da amiga? E porque não os homens também não podem seguir essa preciosa dica?

Será que os homens sofrem menos?

Eu não acredito! Assim como existem mulheres mais racionais do que outras, também existem homens diferentes. Por isso eu digo: o ser humano é o mesmo independente do gênero. Sua forma de mudar ou de buscar a mudança é que vai determinar o grau de evolução no qual ele está, ou o quanto ele está preparado para uma determinada situação. E isso vale para as mulheres também.

Todos nós evoluímos sempre. Jamais estagnamos. Todos temos um passado que está presente e insiste em reaparecer. Todos temos algo que nos prende e, ao mesmo tempo, nos liberta. Todos temos um desejo que nos impede de caminhar ou alguém que nos sufoca por não saber amar. Todos nós já amamos muito um dia e, por isso, hoje desejamos a liberdade ou estamos cheios de defesas que nos impedem de tentar de novo ou até recomeçar. Todos nós fazemos sacrifícios questionáveis: “será que vai valer a pena?”…todos nós um dia já fomos maltratados por alguém…e é por esse motivo que o desejo de mudança deve ser cada vez mais forte em nós. Saber que podemos fazer diferente e mudar para melhor é a melhor coisa que existe e é a melhor oportunidade que Deus nos deu ao nos colocar na Terra com seu sopro de vida.

Vamos largar mão dos clichês ou das frases de efeito e passar a acreditar mais em nossa intuição. Tudo o  que ela nos diz é exatamente como deve ser. Vamos acreditar mais em nós e em nossa experiência para sermos e fazermos cada vez melhor. Não é regra ter que sofrer para crescer. Quem disse isso um dia, não soube se expressar muito bem ou não descobriu a maravilha que é ter um amigo para nos abrir os olhos com seus exemplos.

Descubra-se sem deixar de arriscar por medo de errar e sofrer. Apenas viva e você saberá o que fazer em qualquer situação se seguir sua intuição e, nem sempre, o seu coração.

Antes de colocar em prática, apenas se lembre de uma coisa: A mudança sempre começa pela iniciativa ou a vontade de fazer diferente. E isso contagia!


Contatos:
(12) 9749-3912 / (12) 9104-6202 / (12) 8822-6263 / (12) 8195-2908

Anúncios