Coisas que a Vida nos ensina…


Existem inúmeros motivos que fazem com que uma pessoa não fale mais conosco. São motivos que não podemos imaginar até nos depararmos com eles.

Hoje sei que essa pessoa não está fugindo de nós simplesmente por acharmos que está, ou porque interpretamos o silêncio assim. Ela pode ter muitas razões e nos cabe apenas esperar pacientes pelo seu retorno; ou simplesmente seguirmos em frente, sem permanecermos cogitando possibilidades. A vida é o que é, e assim devemos aceitá-la. Cada coisa está onde deveria estar, e não é porque você parou de tentar que você desistiu, mas foi porque simplesmente cansou de sofrer. Existem formas melhores de se viver do que ficarmos imaginando possibilidades inexistentes. Há coisas que só o tempo pode nos responder. Então, se é assim, não há razão para procurarmos respostas imediatas. As melhores coisas da vida demoram para acontecer.

Hoje sei que a pessoa que merece o nosso amor é justamente aquela que não esperamos. Por isso, não subestime ninguém.

A possibilidade de nos ferirmos é infinita, se compararmos com a quantidade de vezes, na vida, que ferimos alguém sem perceber.

É mais fácil compreendermos os erros alheios quando passamos a olhar para os nossos próprios. Entendemos mais facilmente o outro, quando nos colocamos em seu lugar.

Aquilo que vemos é aquilo que está em nós. Nossa inferência é o outro, e é ele o nosso espelho e não a verdade. Quando entendemos tudo isso, melhoramos nossa visão geral de todas as coisas. Antes de exigirmos algo de alguém, devemos analisar o que está faltando em nós. Nossos conflitos são reflexos de nossas insatisfações internas.

Hoje sei que não é só a genética que determina o quanto engordamos, mas o peso que carregamos nas costas, além do vazio que sentimos de maneira cega, o qual suprimos com alimentos; e, dessa forma, não percebemos que esse vazio não existe.

Quanto mais fugimos de algo ou alguém, mais nos deparamos com o objeto de nossa fuga. Encarar nossos medos, nos ajudará a conquistar novos patamares na vida de uma forma geral. Impossível sermos felizes sem adquirirmos a capacidade de “olhar nos olhos”.

Hoje sei que é muito mais fácil sermos sinceros conosco mesmos do que fingirmos ser o que não somos para agradar a quem não nos merece e descobrirmos isso tudo tarde demais.

É muito melhor passarmos horas fazendo coisas das quais mais gostamos, do que desperdiçarmos nosso precioso tempo com pessoas que nos colocam para baixo.

É mais sadio valorizarmos aqueles que nos valorizam; e muito mais sábio descobrirmos maneiras de amar quem verdadeiramente nos ama.

A pessoa nos ama de verdade, quando ela está disposta a tudo por nós; nos enxerga como criaturas divinas; nos exalta quando mais precisamos e sabe o momento certo de se afastar, mesmo que tenha que se privar do nosso amor. A pessoa nos ama quando ela faz renúncias por nós, quando ela demonstra carinho e afeição, não por meio de palavras, mas de ações – as quais valem muito mais do que mil palavras. É a pessoa que sabe o momento exato de chegar e de se retirar, sem nunca pressionar.

Hoje sei que chorar não resolve problemas. O que resolve nossos problemas, é a nossa capacidade de nos reerguermos para recomeçar, pois é preciso estarmos prontos para o recomeço…sempre.

Hoje sei que é fácil nos surpreendermos positivamente com as pessoas, muito mais do que quando contabilizamos nossas decepções por esperarmos sempre demais. O que precisamos fazer para isso é mudarmos nosso foco: o que faríamos se estivéssemos em seu lugar? Somos seres humanos e diferentes! Temos mil e uma possibilidades de agir para cada situação que nos é apresentada.

Atraímos aquilo que transmitimos. Então, é impossível acreditar que possamos culpar sempre algo ou alguém por tudo aquilo que nos acontece de ruim e darmos méritos a coisas boas somente a nós próprios! Nós somos os únicos responsáveis por nossos erros e acertos. Ninguém pode assumir a culpa que pertence somente a nós, e muito menos devemos assumir a dos outros.

Hoje sei que, para descobrirmos certas verdades, é preciso termos a capacidade de nos retirar, o que significa dizer: de ficarmos sozinhos por um tempo, sem ninguém para nos cobrar de nada, ninguém para nos atormentar com bobagens que pertencem somente a ele (ou ela). Termos um momento somente para nos descobrir é um direito nosso.

Assumir um erro é totalmente o oposto de se humilhar. Você assume suas falhas e, ao mesmo tempo, multiplica suas qualidades porque cresce infinitamente em apenas alguns segundos. Ouvir críticas é o mesmo que ser beneficiado por uma dádiva divina e, por isso, nunca pode ser algo vindo do inferno. Viver é correr riscos e, se erramos, devemos aceitar as críticas a fim de evoluirmos.

Hoje sei que quando não temos nada para dizer ou quando não sabemos o que falar ou se temos dúvidas, é bem melhor calarmos nossa voz e ficarmos com o silêncio.

Somos mais pacientes quando prestamos a atenção a cada passo que damos, sem ansiarmos demais pelo que pode nunca acontecer.

O processo de seleção é algo natural, além de saudável para o ser humano. É preferível termos opções do que fazermos escolhas equivocadas. Mas, mesmo assim, nunca devemos temer o erro, porque sempre haverá uma segunda chance, desde que sejamos merecedores. “Se cair, levante-se”, essa é a regra!

Ser livre é muito mais do que ter seu espaço; é também saber respeitar o espaço do outro com maturidade.

Hoje sei que não perdemos nada em sermos honestos, porque a Vida dá e tira de acordo com o merecimento de cada um.

Quem procura, sempre acha; então, caso não queira encontrar algo, apenas esqueça de procurar. Somos aquilo que pensamos!

Contatos:
(12) 9749-3912 / (11) 7343-3177

Anúncios