“Agindo como uma Dama e pensando como um Homem”!


equilibrioFeliz. Essa é a palavra que me define hoje, mais precisamente agora. A felicidade é um estado emocional que oscila de tempos em tempos. É algo que vem de dentro para fora, mas não mantém uma estabilidade, porque estamos constantemente sujeitos às influências do ambiente – das pessoas que nos rodeiam, das situações que nos cosomem.

Mas, agora estou feliz. Decidi não qualificar os motivos dessa felicidade para que a racionalidade não me deprima e me deixe emocionalmente abalada com minha sensatez. De vez em quando, todos nós precisamos de um pouco de loucura, de ilusão, de música, porque, caso contrário, seremos consumidos por nossos próprios pensamentos e aflições; dúvidas e incoerências.

Então, coloquei a música que, para mim, representa esse momento, porque todos nós guardamos lembranças em músicas. Ao compartilhá-la no universo interativo que é o Facebook, acabei chamando a atenção de uma pessoa, que decidiu me questionar:

Ele: O que a música te lembra?

Eu: Meu passado.

Ele: Quer falar sobre isso?

Eu: Quando a gente não tem com o que ou quem se distrair, a gente se distrai com as lembranças de tudo aquilo que foi bom um dia.

Ele: Só não vale chorar.

Eu: Não tenho motivos para chorar. A Vida já me deu muitas lições. Aprendi a bloquear sentimentos não correspondidos.

Ele: Puxa! Agora você me surpreendeu. Não imaginava isso vindo de uma mulher.

(…)

Essa conversa me fez pensar sobre tudo o que vivi e tudo o que me fez ser assim. Senti um certo orgulho de mim, porque, com uma simples frase, eu soube definir muito bem quem eu sou, muito embora, a interpretação possa ter inúmeros pontos de vista a ponto de alguém pensar em um certo tom de frieza da minha parte.

O que as pessoas não sabem é que por trás dessa frieza, existe uma mulher cheia de sentimentos, romântica e sonhadora. O ato de “bloquear sentimentos não correspondidos” nada mais é do que uma defesa que funciona comigo, o que não quer dizer que possa funcionar com todos. Eu lido muito bem com isso, sem misturar as coisas, o que muitos homens conseguem fazer, e, por isso, a surpresa desse meu amigo, no final.

Eu apenas aprendi a “agir como uma dama e pensar como um homem“; e vice-versa, quando se faz necessário.

A Vida sempre nos ensina, e é nosso papel aprender, a fim de que possamos acertar em uma próxima oportunidade. Controlar as emoções não é fácil, mas a experiência (mais uma vez a dita cuja) sempre nos indica o melhor caminho.

Clique aqui para saber qual é a música dessa situação.




Contatos:
(11) 97343-3177
SKYPE: michelly.antunes.ribeiro

Anúncios