Você não precisa entender, apenas aceitar!


aceitarTudo o que deve importar em nossas vidas é o que temos e faz parte do nosso dia a dia. Tentar encontrar explicações para tudo o que nos acontece pode ser um tanto doloroso e incoerente, porque nossa tendência sempre será analisar tudo segundo nosso ponto de vista. As pessoas possuem os motivos mais complexos e variados para tomar decisões inesperadas e diversas. Usar de “matemática” para compreender uma situação, pode não ser o mais sensato, e é exatamente quado o sofrimento acontece.

Nos torturamos demais com os porquês e nos esquecemos que as pessoas nos dão somente aquilo que podem dar. Sem percebermos, por olharmos demais para as nossas próprias razões, acabamos nos esquecendo da importância de se viver. Racionalizar sentimentos e situações pode ser tão penoso quanto criar expectativas demais com coisas e pessoas. Tudo o que se nos apresenta é o  que é, e o que devemos enfrentar com toda nossa bagagem de experiências e inteligência.

A cobrança de iniciativas que dizem respeito ao que queremos porque percorreu as áreas mais escuras de nossa mente, pode significar o mesmo que desrespeitar o tempo do outro. Pensar na ideia de que as coisas são como são porque é assim que deve ser, e nada é por acaso, é mais do que acreditar em “destino”; é aceitar nossas condições para evitar sofrimentos, e seguir adiante sempre que o que queremos, por algum motivo que desconhecemos, estaciona.

Seguir em frente é deixar as coisas acontecerem quando não podemos fazer nada, quando não podemos “tomar partido”. O que sentimos em relação a essas decisões ideais, dependerá de nossa maturidade.

Esperar o incerto e viver de ilusões é o mesmo que assassinar o nosso Eu, nos anulando para o que nos é possível viver hoje e agora. Colocar responsabilidades sentimentais nos ombros de alguém pode nos trazer a mesma sensação de jogar “poeira no ventilador”: ela vai voltar para sujar ainda mais a nossa casa. A responsabilidade é sempre nossa, por mais que tenhamos a melhor história do mundo, desejando um desfecho “feliz para sempre”.

Aceitar que nem sempre as coisas acontecem como queremos é se prevenir para o que pode ser doloroso, e viver um momento de cada vez, sem que fantasiemos demais com as incertezas que nos sufocam. A racionalização de situações só deve existir para ser favorável para nós; nunca, para o outro.

Deixar-se surpreender é receber as circunstâncias, respeitar os limites alheios e se amar acima de qualquer coisa, priorizando a valorização pessoal, antecipando, dessa forma, a felicidade.

Contatos:
(11) 97343-3177
SKYPE: michelly.antunes.ribeiro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s