Quer saber como vai ser 2014?


copaeleicoesdilmaQue meus leitores não me entendam por pessimista. Serei apenas realista. Vai ser um ano de Copa do Mundo no Brasil e, por isso, a movimentação de turistas será intensa, dessa forma, favorecerá os grandes empresários, ou seja, a riqueza continuará se concentrando nas mãos de uns poucos, salvo aqueles pequenos ambulantes, mas nada de significativo para eles.

Não podemos deixar de levar em consideração os transtornos no trânsito das grandes metrópoles, que cá entre nós, não é dos melhores, e não é segredo também para ninguém que é um dos setores, depois da Saúde e Educação, mais negligenciados pelo governo em nosso país. Temos também a questão da Segurança, nada valorizada, apenas cada vez mais, corrompida junto à Polícia, salvo algumas exceções.

Claro que gerou empregos durante as construções dos estádios, mas nada se compara aos gastos nos cofres públicos por parte do governo. E também do que adianta gerar empregos temporários sem a oportunidade de crescimento? Óbvio que 2013 rendeu a prisão de grandes nomes da política – grandes e sujos mensaleiros! De qualquer forma, posso contar até dez para que estes saiam ilesos daqui a pouco tempo. Faz parte da história do Brasil, que tenho a ‘esperança’ de que venha a mudar, ou que já esteja mudando, pelo menos, um pouco, o que já vai significar muito.

Ah! 2014 será também um ano de eleições. Como pude me esquecer disso?! A política estará a todo vapor, e arrisco até dizer que a senhora Dilma se manifestará logo no primeiro dia do ano. Como já sabemos, brasileiro tem memória curta e, por isso, a política do “pão e circo” estará em andamento no primeiro segundo do ano. Vamos ver o Bolsa Família se expandindo, junto com outras inúmeras possíveis “bolsas” a serem criadas, porque a criatividade do brasileiro é sem-fim; e os interesses na manutenção do ‘pobre’ auxílio que apenas consola e não instrue é evidente, visto que o governo não quer uma população inteligente a fim de que possam melhor manipular o povo. Vimos que alguns poucos acordaram em 2013, em meio às manifestações. Mas, pelo que venho notado, adormeceram novamente. Penso que estão esperando um príncipe encantado para dar o beijo final nessa história, que teve ainda altos teores de infantilidade.

Acostumada com a comodidade, a população brasileira ainda precisa amadurecer em sua autonomia para que tenha a real capacidade de lutar por seus direitos e conquistar grandes resultados. Há os que dizem que 2014 será um ano de manifestações intensas, devido a esses fatos históricos – Copa e Eleições – mas, do que adianta a revolta sem objetivos reais?

Como se pode ver, não é difícil prever o caminhar de um ano, principalmente quando se trata de política. Mas, não podemos nos esquecer que a economia anda lado a lado com esse setor. Ou seja, a desenvoltura econômica de um país está diretamente ligada com a política. Dessa forma, podemos esperar bem pouco de uma evolução nesse setor para, pelo menos, os dois próximos anos (incluindo 2015).

A Copa não favorecerá em nada a venda de alguns produtos. Há alguns otimistas que insistem em afirmar que o primeiro trimestre será positivo. Somente! Quem não correr atrás em tempo, perderá dinheiro. Considerando o evento que movimentará o mundo, e as eleições, o segundo semestre do ano, estará completamente comprometido. A inflação continuará aumentando, os juros subindo, e sabe-se lá qual será a desculpa do governo, que não dará prioridade ao que deve, adiando para 2015, quando será o momento de correr atrás dos prejuízos, que serão imensos.

Entrando para o lado místico da coisa, segundo a yalorirá, mãe Marizete, em entrevista para o site Infonet, o ano de 2014 será regido pelo orixá Xangô, que terá como influência Iansã. Xangô é o dono da Justiça, da Chuva, do Trovão e do Fogo e, por isso, será um ano em que as chuvas e o tempo forte devem predominar. Será um ano que vai favorecer a justiça e a fé. Pesquisando mais a fundo, encontrei uma taróloga dizendo que 2014 será um ano de “mudanças e impasses”. Se for realmente assim, meus desejos são de mudanças profundas na política, como consequência de uma conscientização intensa por parte da população brasileira.

Deixando de lado esse “Blá-blá-blá” que escutamos todos os anos em época de virada (ou Reveillon), o importante é pensarmos em fazer nossa parte sempre, independente da área de nossas vidas, de forma independente e a medida do possível, porque sabemos que não temos como fugir tanto da dependência econômica, mas temos a obrigação de saber que nossa autonomia em relação à política existe. Façamos, então, a diferença em 2014!

Contatos:
(11) 97343-3177
SKYPE: michelly.antunes.ribeiro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s