Fugindo da Felicidade…


inconscienteSó resta saber até onde podemos ir. Não é tão simples deixar de pensar em como será a reação de alguém diante de nossas atitudes. Não é fácil vencer traços tão marcantes e que são travões de nossas próprias ações.

Vencer desafios é necessário, mas leva tempo porque exige esforços decorrentes da coragem, que só será possível se houver autoenfrentamento. Os desafios da vida são como os desafios do amor: você nunca sabe o que esperar, por mais atento que esteja. Mas, tudo isso faz parte da mesma coisa, e se estamos aqui para aprender, o que nos cabe é ousar e correr riscos. Não adianta pedir para não criar expectativas, porque elas sempre vão existir. Já até desisti de tentar. Mas, existe um equilíbrio possível, e ele se encontra na nossa sensibilidade e discernimento.

A felicidade mora na simplicidade, mas estamos habituados a nos acomodar, dificultando situações por mera fuga inconsciente. Sem que percebamos, fugimos, desviamos do que queremos para caminhos desnecessários, só para não enfrentarmos nossa própria passividade.

Libertar-se faz parte do querer prosseguir, independente do retorno, independente do que nos espera do outro lado da ponte que tememos cruzar.

Por esse mesmo medo, achamos que já fizemos de tudo e, por isso, estacionamos por mera defesa. Não medimos as consequências, e não pensamos que o sofrimento da omissão é maior que uma simples queda no chão.

Contatos:
(11) 97343-3177
SKYPE: michelly.antunes.ribeiro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s