Como sair de um relacionamento abusivo?

Tempo de leitura: 10 minutos

Saiba como sair de um relacionamento abusivo. Você está em uma relação que já não aguenta mais, mas não sabe como sair dela? Sente-se presa (o) a alguma pessoa que já nem sabe se ama? Você sente necessidade de ser amada (o) e esse é um dos motivos que te fazem permanecer na relação?

Flat horizontal banners set with people having family problems vector illustration

Então, pare o que estiver fazendo. Esse texto é para você e eu estou aqui para te ajudar a sair desse relacionamento abusivo. Mais adiante, saiba como sair de um relacionamento abusivo.

O que te vincula a essa pessoa?

O que te vincula a essa pessoa? Essa é a primeira pergunta que você deve se fazer a fim de avaliar como sair desse relacionamento abusivo. Posso te ajudar com alguns critérios para responder essa questão:

1- Você considera a hipótese de estar nessa relação por carência? Sim ou não?
2- Você se sente mal ao pensar nessa pessoa ou de passar um tempo com ela? Sim ou não?
3- Vocês têm se desentendido com mais frequência do que o costume? Sim ou não?
4- Você possui mais reclamações do que elogios a fazer a respeito dessa pessoa? Sim ou não?
5- Você já sofreu algum tipo de abuso dessa pessoa? (verbal, física) Sim ou não?
6- Você, por diversas vezes, se viu tendo que escolher entre os amigos e a pessoa com quem se relaciona? Sim ou não?
7- A pessoa com quem você se relaciona tende a te criticar excessivamente, vive apontando dedos para você, fazendo com que você se sinta tenso a maior parte do tempo? Sim ou não?
8- Você tem se visto com frequência tendo que abrir mão de muitas coisas em prol dessa relação, mais do que o outro abre mão por você? Sim ou não?
9- Existe a mínima possibilidade de você ter entrado nessa relação sem pensar muito ou saído de outra relação e engatado logo essa (emendando mesmo)? Sim ou não?
10- Você sente culpa ao pensar em terminar com essa pessoa? Sim ou não?
11- Você sente vontade de falar palavras de amor para essa pessoa? Sim ou não?
12- Você sente vontade de ter relações sexuais com essa pessoa? Sim ou não?

Se você respondeu SIM para a maioria das perguntas de 1 a 10, e NÃO para, pelo menos, uma das perguntas 11 ou 12, então já está pronto (a) para responder a pergunta: O que então te vincula a essa pessoa?

Pode ser sua carência, e se for, qual é essa carência? Sente falta de afeto? De que tipo? Como você mesmo pode criar condições de suprir suas próprias carências? Precisa de ajuda para isso?

Se o que te vincula a essa pessoa está relacionado a algum pensamento disfuncional do tipo “não sou digno de ser amado (a)”, então eu te pergunto: quais são as suas evidências de que isso é real? Que provas você tem de que não é digno de ser amado? Avalie suas relações de amizade, familiares, profissionais. Se tem alguma área da sua vida pendente de atenção, se dedique mais a ela! Mas, jamais, deposite toda a sua afetividade nas mãos de uma única pessoa! Compartilhe essa afetividade com várias pessoas. Seus amigos, vizinhos, familiares e colegas de profissão também podem precisar do seu afeto!

Será que o que te vincula a essa pessoa está relacionado a questões financeiras? Você depende dessa pessoa? Então, busque alternativas para se fortalecer. Veja que ferramentas pode utilizar para ser uma pessoa autônoma. Descubra maneiras de ganhar dinheiro. Corra atrás de sua independência!

Você sente que gosta da pessoa porque se acostumou com ela e é isso o que te vincula a ela? Então, vá para o próximo passo abaixo.

Faça uma lista de prós e contras

Faça uma lista de prós e contras e saiba como sair de um relacionamento abusivo. Se não conseguiu responder todas as perguntas auxiliares acima, esse item é pra você. E se você conseguiu concluir a análise acima com sucesso, esse item pode te ajudar ainda mais.

Não é fácil sair de uma relação de anos, principalmente após constatar que está em um relacionamento abusivo. Não é fácil ainda mais quando ainda gostamos da pessoa com a qual passamos bons momentos juntos, ou nem tanto, mas que foram suficientes para construir um sentimento profundo por essa pessoa.

Então, a minha sugestão para você é fazer uma lista de prós e contras com as qualidades que essa pessoa possui e que te fazem estar com essa pessoa hoje. Você vai pegar uma folha de sulfite e fazer uma linha vertical no meio dessa folha e escrever em um dos lados “prós” e do outro, “contras” e assim iniciar a lista.

Ao final, use seu senso crítico e avalie para que lado a balança está pendendo mais. Há mais itens prós do que contras? Ou o contrário? E agora? Precisa de coragem para terminar? Peça ajuda e vá para o item seguinte.

Demore o tempo que for preciso para terminar

Isso mesmo! Demore o tempo que for preciso para terminar. Não tome atitudes precipitadas para não se arrepender depois. Afinal, se chegou nesse texto, foi porque, por algum motivo, teve dificuldades para se decidir. E se isso aconteceu, é porque realmente há um vínculo bem forte entre você e essa pessoa.

Mas, a questão é a seguinte: você não precisa tomar uma decisão imediata após a constatação de que não deve estar nessa relação. Converse com amigos verdadeiros, ou peça ajuda de um psicólogo. Mas, não se deixe influenciar com as opiniões alheias. Faça questão de mostrar a lista de prós e contras e avalie junto com esses amigos ou com seu psicólogo.

Busque estratégias. Treine como abordaria a pessoa para terminar com ela, com o psicólogo ou com amigos. Treine sozinho também, em frente ao espelho. Escolha as palavras mais adequadas para falar, considerando que o outro também possui sentimentos.

Se respeite acima de tudo. Respeite o que você sente e não passe por cima disso.

Não tenha medo. Não é amor.

Não tenha medo, afinal, não é amor. Entenda de uma vez por todas: se você respondeu SIM para a maioria das perguntas do critério para saber o que te vincula a essa pessoa; se você conseguiu concluir que é manipulado nessa relação, da maneira mais sedutora possível, ou até mesmo se se vê manipulando dessa forma uma relação. Se você consegue admitir, ao menos, para você mesmo que está em um relacionamento abusivo. Se você percebeu que o que te vincula a essa pessoa está mais ligado à carência do que ao prazer, então, não há por que ter medo de terminar essa relação. Afinal, não é amor o que você busca? Então, não perca mais tempo, porque isso NÃO É AMOR. É DEPENDÊNCIA.

E se quiser saber mais sobre a codependência afetiva, clique aqui para conferir o que já abordei a respeito neste blog.

Se o seu medo tiver relação com a solidão (medo de ficar só), te recomendo esse texto: A dor da separação na dependência emocional. Busque um bom terapeuta e saia dessa situação, assim que for possível.

E se, para agravar a situação, você ainda sofre ameaças, não se amedronte. Busque alternativas e denuncie. Procure a Delegacia da Mulher mais próxima de você. Saiba mais, clicando aqui.

Então, já sabe como sair de um relacionamento abusivo? Está pronto para decolar?

E aí? Já sabe como sair de um relacionamento abusivo? Então, antes de decolar, vamos fazer um check list?

  • Antes de sair desse relacionamento abusivo, cheque se você e seu parceiro estão juntos nessa vontade de mudar. Ele (ou ela) está ciente de que está dentro de um relacionamento abusivo? Se sim, ele (ou ela) quer mudar? Se a resposta for não, então prossiga, porque você já deu longos passos até chegar aqui. Afinal, você precisa esclarecer para si próprio que não pode mudar ninguém a não ser você mesmo. As pessoas só mudam quando decidem mudar porque percebem que há algo de errado com elas que está prejudicando elas mesmas e suas relações. Sem que isso ocorra, é impossível a mudança acontecer. Veja por você mesmo: foi fácil chegar até aqui?
  • Caso a pessoa esteja no mesmo clima que você, e também queira a mudança, então só tenho uma coisa a te dizer: terapia de casal. Tente! Vale à pena e a relação pode mudar da água para o vinho, positivamente falando. Agora, se a pessoa fugir da palavra “terapia”, coloque lá na lista de contras, pois é um fator a mais para te fazer desconfiar que a relação já chegou ao fim faz tempo. Então, está em suas mãos: é você quem precisa sair dessa relação.
  • Fortaleça seu amor próprio. Confie que você merece alguém melhor do que essa pessoa. Leve em consideração que você chegou até aqui e foi capaz de encontrar motivação interna para enxergar a necessidade da mudança. Esse já é um passo gigantesco para a mudança em si. Então, se valorize e busque seu fortalecimento, o autocentramento, a autossuficiência, a sua força interior. A psicoterapia pode te ajudar.
  • Lembre-se: os manipuladores estão entre as pessoas mais inseguras. Eles precisam te deixar inseguro (a) para se sentirem poderosos.
  • Lembre-se também: o jogo só acontece se, pelo menos, dois participam. O abusador só existe porque existe um abusado que autoriza esse papel. Quebre esse jogo, antes que seja tarde demais!
  • Não dê poder ao abusador: se ele ameaçar ir embora, diga “vá”. Se ele te bater, vai você embora. Tome posse do seu lugar, sem ceder. Mostre que não aceita esses comportamentos. Se você ceder, você continuará cumprindo com seu papel de abusada.
  • Estamos aqui para sermos felizes. Você é?

Compre já o ebook que vai te ajudar a superar o relacionamento abusivo

Clique aqui e saia agora mesmo dessa situação!

Bibliografia recomendada:

BEATTIE, Melody. Para além da codependência: O que fazer depois que a dor passa e é preciso seguir. 1 ed. Rio de Janeiro: Viva Livros, 2013. 287 p.
FAUR, Patricia. Amores que matam: Quando um relacionamento inadequado pode ser tão perigoso quanto usar uma droga. 1. Porto Alegre: L, 2012. 179 p.
RISO, Walter. Amar ou depender?: Como superar a dependência afetiva e fazer do amor uma experiência plena e saudável. 1 ed. São Paulo/SP: L&PM, 2009. 176 p.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *